Revezamento brasileiro feminino 4x100 m termina em oitavo lugar no último dia do Mundial de Daegu | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Revezamento brasileiro feminino 4x100 m termina em oitavo lugar no último dia do Mundial de Daegu

A equipe brasileira feminina do revezamento 4x100 m ficou em oitavo lugar na final do Campeonato Mundial de Atletismo, que terminou neste domingo na cidade sul-coreana de Daegu / Foto: Getty Images/IAAFDaegu - A equipe brasileira feminina do revezamento 4x100 m ficou em oitavo lugar na final do Campeonato Mundial de Atletismo, que terminou neste domingo na cidade sul-coreana de Daegu. Ana Cláudia Lemos, Vanda Gomes, Franciela Krasucki e Rosângela Santos completaram a prova em 43.10, não conseguindo melhorar a marca de 42.92, novo recorde sul-americano, obtido nas semifinais.

Os Estados Unidos, com Bianca Knight, Allyson Felix, Marshevet Myers e Carmelita Jeter, conquistaram a medalha de ouro, com 41.56, seguidos da Jamaica (Shelly-Ann Fraser, Kerron Stewart, Sherone Simpson e Veronica Campbell-Brown), com 41.70, e da Ucrânia (Olesya Povh, Nataliya Pohrebnyak, Mariya Ryemyen e Hrystyna Stuy), com 42.51.

"Foi um Mundial muito forte, com as principais equipes internacionais na final. Normalmente uma ou outra equipe é eliminada na semifinal porque elas não treinam muito o revezamento. Desta vez, o nível técnico foi fortíssimo", comentou Franciela Krasucki.

Já Rosângela Santos lamentou a equipe não ter repetido a boa marca da semifinal. "Conseguimos bater o recorde sul-americano, mas infelizmente não deu para fazer o mesmo na final. A equipe precisa amadurecer. Ela é muito nova e falta experiência", disse.

Vanda Gomes concordou com Rosângela. "Temos agora de melhorar o desempenho individual das atletas para melhorarmos também o resultado do revezamento", afirmou.

Para Ana Cláudia, o Brasil precisa competir mais em alto nível. "Saio feliz do Mundial com o resultado da equipe, mas esta formação é muito nova, com atletas de 20 a 22 anos, que precisa de maior experiência internacional. O potencial é grande e podemos ter um desempenho melhor na Olimpíada", completou.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook