Albert Morgen e Patrícia Loureiro são campeões brasileiros de E-MTB

Albert Morgen / Foto: Gustavo Epifanio/Cannondale MTB FestivalAlbert Morgen / Foto: Gustavo Epifanio/Cannondale MTB Festival

Mairiporã - Teve início na manhã desta sexta-feira (19) a edição inédita do Cannondale MTB Festival, evento em Mairiporã-SP que está reunindo a disputa de quatro títulos brasileiros no mountain bike. E, por falar em novidade, o Brasil tem agora seus dois primeiros campeões nacionais de E-MTB. 
 
São eles o fluminense Albert Morgen e a paulista Patrícia Loureiro, experientes e renomados ciclistas do mountain bike nacional. No circuito de 5,9 km e 178 m de altimetria acumulada, o mesmo do cross country olímpico (XCO), Morgen completou as três voltas em 44’23”, enquanto Patrícia venceu no feminino em 48’38”.
 
Foi a primeira vez que um país latino americano sediou uma prova de mountain bike elétrica, antes mesmo da realização do primeiro Campeonato Mundial.  
 
Na disputa masculina, Albert Morgen, multicampeão no cross country olímpico no Brasil, superou o paulista Thiago Velardi, ciclista de enduro e downhill (DH), e o mineiro Thiago Menezes, praticante de cross country maratona (XCM). Enquanto Velardi cruzou a linha de chegada em 45’56”, Menezes concluiu a prova em 46’05”. Erick Azzi e José Leonardo Antunes completaram o pódio, em 47’43” e 48’22”, na quarta e quinta colocações, respectivamente.
 
"Achei o circuito nota mil. Me senti com uma felicidade dobrada. Andar de mountain bike já é muito legal, ter uma bike com motor assistido é ainda mais bacana. Me sinto muito honrado em poder proporcionar para minha equipe esse título nacional e agradeço a confiança depositada em mim. Sou o primeiro campeão brasileiro de E-MTB e até agora em todas as provas que competi com a minha e-bike, desde 2017, fui campeão. Estou firme para disputar o Campeonato Mundial", contou Morgen.
 
Vice-campeão brasileiro, Thiago Velardi também destacou a disputa e parabenizou a organização. 
 
"Muito feliz de comemorar essa conquista de vice-campeão bem no dia do aniversário do meu filho mais novo. Gostaria de agradecer a toda a equipe do Cannondale MTB Festival por fazerem este evento histórico aqui, reunindo diversas modalidades do mountain bike. Fico bastante contente também por ter participado da construção das pistas do cross country olímpico e downhill. A bicicleta elétrica é o futuro", disse Velardi.  
 
Para Patrícia Loureiro, o título de campeã brasileira de e-mountain bike vai para uma galeria de importantes conquistas, como os oito troféus de na elite do downhill nacional e o bicampeonato mundial Master. 
 
"É incrível ser a primeira campeã brasileira de e-bike. Espero seguir competindo na modalidade. Acredito que dê para pedalar de bike elétrica até uns 80 anos de idade. Consigo competir facilmente mais uns 40 anos", comemorou Patrícia. "O circuito está muito legal e divertido, com alguns pulos bem deliciosos. Não está difícil nas descidas, mas bastante técnico nas subidas", avaliou a ciclista. 
 
"A maioria das pessoas ainda não conhece a bike elétrica, mas posso afirmar que não existe nada mais divertido. Iniciei no motocross com 5 anos de idade e fiquei até os 14. Em seguida fui para o downhill. E, posso falar, que bike elétrica é uma diversão maior do que o motocross e mais difícil do que o downhill, é incrível. Ela te impulsiona e na descida você desce normal, é como se você estivesse descendo também. Exige muito tecnicamente”, comentou Patrícia.
 
Veja Também: 
 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Curta - EA no Facebook