Cesar retorna à elite em prova de pódio das Américas | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Cesar retorna à elite em prova de pódio das Américas

César Castro  / Foto:  Satiro Sodré / SSPress / CBDA

Rio de Janeiro - O quarto dia de provas da 20ª Copa do Mundo FINA de Saltos Ornamentais, válida como Evento Teste classificatório para os Jogos Olímpicos Rio 2016, nesta segunda-feira, 22/02, teve César Castro, 33 anos, retornando à elite do trampolim de 3 metros mundial, com o quinto lugar na final, com 437,40 pontos, à frente do campeão olímpico no Mundial de Kazan, o chinês He Chao, que terminou em sexto (428,50). Na Rússia, Chao marcou 505 pontos. César foi o saltador mais velho da prova. 
A disputa teve um surpreendente pódio das Américas com o mexicano Rommel Pacheco no degrau de ouro (504,40), o jamaicano Yona Knight-Wisdom com a prata (459,25) e o americano Kristian Ipsen, com o bronze (457,60). Ainda à frente do brasileiro ficou o francês Matthieu Rosset, 453,50 pontos. Rommel cantou o hino de seu país enquanto via a bandeira da FINA subir, pois o México está suspenso devido à uma questão jurídica com a Federação Internacional, que está sendo decidida na Corte Arbitral do Esporte. Yona fez no Rio de Janeiro história para o seu país, pois esta foi a primeira medalha para os saltos jamaicanos e também a primeira vaga para os Jogos Olímpicos na modalidade.
 
O dia também deu vagas Olímpicas para alguns dos atletas mais experientes da modalidade e todos na prova de trampolim de 3 metros. Juliana Veloso, de 35 anos, a atleta mais velha da competição; e a italiana Tania Cagnotto, 30 anos, irão pela quinta vez aos Jogos Olímpicos. Um feito em qualquer nação. César Castro, 33 anos, voltou à elite da modalidade e garantiu seu lugar na vila olímpica pela quarta vez já com o resultado na semifinal da prova masculina, e principalmente com a posição conquistada logo depois, entre os finalistas (condição que não atingia há seis anos em competição de grande vulto da FINA), ao terminar em 5º lugar, com 437,40 pontos.
 
- Foi bom por vários motivos. O Maria Lenk me traz boa energia, foi aqui que conquistei a prata no Pan do Rio/2007. Ontem consegui a vaga, o que me deu um grande alívio, hoje melhorei a pontuação na semifinal consideravelmente, confirmando a vaga, e na final, foi melhor ainda. Isto é perfeito, é o que a gente busca, esta sequência de melhoras, lógico que vai diminuindo o peso à medida que conseguimos os objetivos. As eliminatórias foi muito tensa. Meu astral é outro hoje e deu tudo certo. Repeti o 5º lugar do Mundial de Roma e na Copa do Mundo de 2010 ainda fui finalista. Depois, no máximo semifinalista como nas Olimpíadas de Londres. Hoje tenho um controle psicológico maior, afinal a cabeça é tudo pois tem público, imprensa, vento, mas agora tenho objetivos claros e ainda estou saltando devido às Olimpíadas ser aqui. Minha meta é ser finalista no Rio, saltar feliz, mas pensando pouco a pouco, primeiro nas eliminatórias, depois na semi... - disse César, reconhecendo que o fator casa ajuda e que ele voltou ao topo, "apesar da surpresa que esta modalidade traz, você está lá na frente e pode cair muito num erro".
 
César veio numa constante de melhora desde o início da competição, com os mesmos saltos e na mesma ordem. Nas eliminatórias terminou em 16º lugar com 400,25 pontos. Na semifinal subiu para a 12ª posição, a última que garantia vaga na final, com 423,40. Na final subiu para a quinta posição, repetindo a posição do Mundial de Roma/2009, com 437,40 pontos.
 
A pontuação de César na final da 20ª Copa do Mundo foi a seguinte (entre parêntesis, pela ordem, a pontuação na semi e nas eliminatórias): 1º salto, 72,00 (67,50 e 69,00); 2º salto, 76,50 (71,40 e 68,00); 3º salto, 70,50 (67,50 e 67,50); 4º salto, 72,00 (67,50 e 63,00); 5º salto, 72,00 (72,00 e 63,00); 6º e último salto, 74,40 (77,50 e 69,75). César ficou em 7º lugar nos dois primeiros saltos, caiu pra 9º na terceira rodada, subiu pra 6º no quarto salto, e nos dois últimos chegou ao top-5. 
 
As últimas vezes que César tinha sido finalista em competição de grande vulto da FINA foi no Mundial de Esportes Aquáticos de Roma/2009 (5º colocado, 466,90 pontos), e na Copa do Mundo de Changzhou/China, em 2010 (11º lugar, 444,00). Nas Copas do Mundo seguintes, César terminou em 14º em Londres/2012 (431,20 pontos) e 20º em Xangai/2014 (402,35).
 
Juliana garante sua 5ª Olimpíada - A saltadora Juliana Veloso garantiu nesta 2ª feira, 22/2, pela 5ª vez sua participação em Jogos Olímpicos ao ficar em 9º lugar nas eliminatórias do trampolim de 3 metros feminino. Juliana marcou 315,50 pontos, melhorando a pontuação de seus cinco saltos em relação ao Mundial de Kazan/2015, quando terminou em 43º, com 213,75 pontos. Nos saltos ornamentais do Brasil, a presença em cinco edições dos Jogos Olímpicos é um recorde. 
 
- Foi um bom campeonato. E esta vaga é minha. O índice, se me lembro bem, é de 289 pontos e alguém podia conseguir uma pontuação 5% maior no Troféu Brasil, em maio, caso eu não fizesse aqui. Mas consegui e estou garantida em minha 5ª Olimpíada. Talvez, eu sinta este negócio de recorde de participação, caia a ficha, quando parar, mas agora nem penso nisto, é apenas mais uma Olimpíada. Estou feliz em ter conseguido um patrocínio antes da Copa do Mundo, que sinto como um reconhecimento. E estou feliz por ter garantido a vaga na piscina e não por ser do país-sede. Minha meta agora é chegar a final, estar entre as 12 melhores. Já bati na trave uma vez, quando fiquei em 13º e agora quero superar isto - concluiu Juliana, 35 anos, que oscilou entre a 8ª e 10ª colocação durante seus saltos. 
 
Agora, as 18 melhores saltadoras das preliminares disputam a semifinal, a partir das 16h desta 3ª feira, 23/2, e quem ficar entre as 12 mais bem colocadas disputam a final no mesmo dia, às 20 horas. 
 
A outra brasileira na prova, a novata paraibana Luana Lira (que fará 20 anos em 5 de março) terminou na 37ª posição entre 54 competidoras em sua primeira Copa do Mundo. Luana totalizou 232,65 pontos, marcando 54,60, 44,55, 42,50, 35,00 e 58,00 pontos em seus cinco saltos. Na primeira rodada obteve sua melhor colocação nas seletivas, ficando em 23º. A melhor colocação das eliminatórias ficou com a veterana Tania Cagnotto, da Itália, de 30 anos, com 348,65 pontos. Cagnotto conquistou dois bronzes na Copa do Mundo de 2012, em Londres, no trampolim de 3m individual e sincronizado. No Mundial de Kazan/2015, ela foi campeã mundial na prova não-olímpica do trampolim de 1 metro. 
 
As pontuações de Juliana nas eliminatórias de hoje foram 64,50, 63,00, 62,00, 67,50 e 58,50. Nos mesmos saltos, mesmo que em ordem invertida, a atleta carioca marcou em Kazan, 42,00, 58,50, 23,25,52,50 e 37,50. Perguntada se mudará alguma coisa, se terá um salto novo ou um aumento no grau de dificuldade nos Jogos Olímpicos, Juliana brincou que a última mudança será nas notas, pois "vou conseguir nota 8 em todos".
 
 
PROGRAMAÇÃO
 
3ª feira - 23/2
10h às 14h - Eliminatórias Plataforma Masc
16h às 18h - Semifinal Trampolim 3m Fem (18 atletas)
20h às 21h30 - Final Trampolim 3m Fem (12 atletas)
 
4ª feira - 24/2
10h às 12h - Semifinal Plataforma Masc (18 atletas)
14h às 15h30 - Final Plataforma Masc (12 atletas)
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook