Ginástica Rítmica vive dia histórico com treino online | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Ginástica Rítmica vive dia histórico com treino online

Treino aberto da Ginástica Rítmica / Foto: Divulgação/CBGTreino aberto da Ginástica Rítmica / Foto: Divulgação/CBG

São Paulo - Mil pessoas acompanharam o primeiro Treino Aberto ao Público da Seleção Brasileira de Conjunto de Ginástica Rítmica, executado online. A capacidade oferecida pelo aplicativo lotou. Para que a atividade pudesse transcorrer com sucesso, todo o time da Confederação Brasileira de Ginástica foi mobilizado. As estrelas, as atletas, dedicaram-se como se estivessem num grande ginásio em dia de final, na manhã desta quinta-feira.
 
Ao logo das últimas nove semanas de treino online da GR, a comissão técnica comandada por Camila Ferezin, Coordenadora de Seleções de GR, tem feito o que pode para manter as atletas motivadas. No último domingo, surgiu a ideia de exibir o treino. Às 7h30 da manhã desta quinta-feira, uma hora antes do início previsto da atividade, já havia 300 pessoas na sala de espera. Eram ginastas, treinadores, pais, familiares, amigos, amantes da modalidade, curiosos. Ao final, quando já passava das 13h, o sorriso vitorioso da capitã da equipe, Deborah Medrado, é a prova de que a resiliência se tornou marca do grupo, que atravessa o período de isolamento social com a maior coesão possível.
 
“A palavra que melhor exprime o que sentimos agora é gratidão. A gente sabe que treinar em casa não é tão legal. Não temos nossas companheiras ao lado para conversar, é diferente. Mas essa atividade foi especial. A gente vinha comentando entre nós que estávamos sentindo aquele friozinho na barriga que antecede as competições, e o que sinto agora é que todas nós continuamos com o mesmo objetivo, o mesmo sonho. Tratamos de caprichar na nossa apresentação, porque não poderíamos fazer feio. A adrenalina que sentimos foi real”.
 
Igualmente sorridente, Barbara Urquiza enxerga benefícios duradouros colhidos mesmo num momento extremamente difícil para todos, graças à capacidade de resistência e à garra do grupo. “Vamos sair desta ainda mais unidas, e com muito mais resiliência. A Ginástica Rítmica do Brasil vai entrar para a história com essas ações, só tem a crescer”.
 
O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães, remanejou alguns compromissos para poder prestigiar o evento. Adotando um tom descontraído, ele tratou também de incentivar as ginastas. “Vocês vão ter 12 meses muito desafiadores pela frente até os Jogos Olímpicos. Tenho certeza de que a Caixa continuará apoiando a ginástica do Brasil”, afirmou Guimarães. “Se tem um patrocínio que vamos continuar, que queremos continuar, é o de todas as ginásticas”, acrescentou.
 
Guimarães destacou o papel fundamental exercido pela instituição bancária ao longo deste período de pandemia. “Hoje estamos quase completando a segunda parcela do auxílio emergencial. Vamos pagar 60 milhões de brasileiros em 20 dias. Nunca nenhum país fez isso. Abrimos mais de 50 milhões de contas digitais. Trinta e duas milhões dessas pessoas não tinham qualquer conta bancária até um mês atrás. É uma transformação que lembra o que o esporte faz pelo ser humano. Ele dá dignidade. É inserção social, inserção digital, inserção econômica”.
 
Depois de brincar com algumas atletas, Guimarães prometeu torcer pela ginástica em Tóquio. “Certamente vou à Olimpíada com o Presidente e acompanharei os primeiros três ou quatro dias de competições. Contem com o nosso apoio”.
 
A presidente da Confederação Brasileira de Ginástica, Maria Luciene Cacho Resende, destacou o papel da Caixa ao longo de sua gestão na presidência da entidade. “A Caixa acredita, confia e investe no sonho da ginástica brasileira. Quero agradecer ao presidente da Caixa neste momento histórico e de alegria”.
 
O presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wanderley Teixeira, fez questão de abrir espaço em sua agenda repleta de compromissos para também conferir o treino da GR. “Quero saudar a CBG, uma das pioneiras nessa modalidade de treino online. Reafirmo o carinho e a consideração pela presidente Luciene e desejo que nossas ginastas se concentrem como se estivessem em vias de competir nos Jogos Olímpicos”, disse o dirigente, pouco antes do início das atividades.
 
Começando pelo treino físico, comandado por Rafael Jesus, as ginastas se dedicaram a atividades diversas, passando por alongamentos, treinos de flexibilidade, ballet, elementos corporais, manejo de maças, séries com bolas e mistas. Tudo isso precedeu o grand finale, uma apresentação de gala. Sem os collants de competição, que ficaram em Aracaju, no Centro de Treinamento de Ginástica Rítmica, as ginastas se paramentaram com meias coloridas, perucas e qualquer adorno disponível, como óculos com aros olímpicos e até um chapéu de Luigi, o amigo do personagem Mario Kart. Tudo isso ao som de eXplosion, com Black Eyed Peas & Anitta.
 
Satisfeita com a demonstração de que as ginastas estão mantendo, na medida das possibilidades, boa parte do excelente nível demonstrado na Copa do Mundo de Moscou, em janeiro, Camila Ferezin aprova a qualidade exibida pela Seleção Brasileira de Conjunto no presente, e está otimista quanto ao futuro. “Não estamos perdendo tempo. As meninas estão treinadas e motivadas. Ao longo destas nove semanas, tivemos atividades comandadas por Elena Bubentsova, de Belarus, aulas da Escola Bolshoi, atividades com treinadores de outras modalidades, como a ginástica aeróbica, além de tutoriais de maquiagem e de coque...”, lista a treinadora.
 
“Em contato com as redes sociais, vimos um monte de mensagens de pessoas querendo assistir aos treinos. Aí tivemos a sacada de abrir. Quem sabe não conseguimos incentivar mais crianças a praticar Ginástica Rítmica? Estamos plantando as sementinhas, e tenho certeza de que vamos colher os frutos no futuro”.
 
 
 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook