Ana Sátila fica entre as 10 melhores do mundo no C1 Feminino | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Ana Sátila fica entre as 10 melhores do mundo no C1 Feminino

Ana Sátila / Foto: Divulgação

Londres - Ana Sátila conquistou o nono melhor tempo na final no C1 Feminino neste domingo (20) no Mundial de Canoagem Slalom, em Londres, percorrendo o trecho de quase 300 metros em 147.84 segundos.
 

A favorita da disputa, a australiana Jessica Fox, levou o ouro (113.51s), seguida pela tcheca Katerina Hoskova (118.42s) e pela espanhola Nuria Vilarrubla (121.55s).

“Foi uma prova complicada. O percurso é igual ao disputado no K1, mas eu treino muito mais no K1. Mesmo assim estou contente com o meu resultado”, lembra a atleta que também competiu nesse Mundial a semifinal pelo K1 Feminino.
 
Para o auxiliar técnico da equipe brasileira, Guille Diez-Canedo, a canoísta está no topo do esporte. “Ela está remando bem e há muito tempo faz parte do seleto grupo das melhores do mundo”, comenta o ex-atleta espanhol que explica como é feito o estudo para tentar diminuir a vantagem entre as concorrentes nos momentos cruciais que antecedem a prova. “Nos baseamos nos tempos parciais das outras competidoras na hora da prova. Avaliamos os erros que tiveram e repassamos a Ana para ela não repetir o mesmo”. Ele comenta que sempre após o fim da disputa todos os competidores assistem junto com os técnicos ao vídeo da prova. “Tentamos analisar e comparar com as remadas das outras concorrentes na mesma pista, assim podemos ver o que pode ser melhorado”, informa.
 
O Brasil teve 11 atletas disputando todas as cinco categorias no evento (C1 e K1 Masculino e Feminino e C2 Masculino), mas somente Ana Sátila avançou das classificatórias. Nessa próxima semana a equipe retorna ao Brasil depois de quase dois meses em competições pela Europa. O próximo desafio já está marcado: 3a Etapa da Copa Brasil que acontecerá em Três Coroas, no Rio Grande do Sul, entre os dias 2 e 4 de outubro.
 
Pouca idade, mas muitos momentos históricos na Canoagem - O Lee Valley White Water Centre, local onde está sendo realizado o Mundial 2015, é um local de recordações para a canoísta Ana Sátila. Ela desceu a primeira vez nessa pista em 2012 quando foi a representante mais nova do Brasil na edição dos Jogos Olímpicos. Na época com apenas 16 anos obteve a 16a colocação geral.
 
Nascida em Minas Gerais, mas com apenas quatro anos de idade, se mudou para Primavera do Leste, no Mato Grosso, onde iniciou a prática do esporte. Já em 2012 mudou-se para Foz do Iguaçu para integrar a Equipe Permanente e também para competir pelo Instituto Meninos do Lago. Hoje ela é a principal promessa da Canoagem Slalom do Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
Somente neste ano, nos Jogos Pan-americanos no Canadá, a atleta conquistou duas medalhas: uma de ouro no C1 Feminino e outra de prata no K1. Já na primeira etapa da Copa do Mundo em Praga, na República Tcheca, outro feito inédito: bronze pelo C1 Feminino. Em casa, no mês de abril, durante o Mundial Sub-23, realizado em Foz do Iguaçu, no Paraná, a mineira garantiu a prata pelo K1.
                                                                                 
Canoagem Slalom se despede de Londres  - Depois de cinco dias de prova, em evento que reuniu 61 países, na briga pelo K1 Masculino o tcheco Jiri Prskavec foi o melhor e terminou a prova com um tempo de 88.99 segundos. Mateusz Polaczyk da Polônia (89.43s) e Michal Smolen dos Estados Unidos (92.01s) conquistaram a prata e o bronze, respectivamente.
 
Além de eleger os novos campeões mundiais, foram classificados 15 países da categoria para os Jogos Olímpicos. Estarão no Rio 2016 pelo K1 Masculino a República Tcheca; Eslovênia; Alemanha; Itália; Estados Unidos; Polônia; França; Azerbaijão; Rússia; Grã-Bretanha; Japão; Áustria; Eslováquia; Nova Zelândia e Áustria.
 
Nas disputas do C1 Masculino dois pódios britânicos: David Florence fez o dever de casa e ganhou a medalha de ouro com o tempo de 94.32 segundos. Além dele, seu conterrâneo Ryan Westley, ficou com o bronze (96.33s). Quem garantiu a prata foi para Benjamin Savsek, da Eslovênia (94.36s). Também foram definidas dez vagas para o Rio 2016 nessa categoria: Eslovênia; Eslováquia; Estados Unidos; Grã-Bretanha; Alemanha; França; Polônia; Rússia; República Tcheca e Japão.
 
Dia (19), já havia saído os primeiros classificados quinze vagas no K1 Feminino: República Tcheca; Alemanha; Austrália; Espanha; Eslováquia; Grã-Bretanha; Nova Zelândia; China; Áustria; França; Rússia; Eslovênia; Polônia; Japão e Itália; e mais oito no C2 Masculino: Alemanha; França; Eslovênia; Grã-Bretanha; Polônia; Rússia; República Tcheca e Eslováquia.
 
Provas por equipes - As últimas disputas foram as provas por equipes no K1 Masculino. Os brasileiros Pedro Gonçalves, Fábio Rodrigues e Ricardo Taques fizeram o tempo de 126.81 segundos e ficaram na 11o posição. Já no C1 Masculino o trio formado por Leonardo Curcel, Felipe Borges e Thiago Serra chegou em 13o lugar com o tempo de 147.37 segundos.
 
Brasileiros no Rio 2016 - Por ser o país-sede dos Jogos Olímpicos ano que vem o Brasil já tem a vaga garantida nas categorias da Canoagem Slalom. Os atletas que irão participar do evento serão conhecidos no ano que vem, onde haverá uma seletiva nacional em março de 2016 de onde sairão os representantes para as disputas de competições internacionais. Antes do Rio 2016 haverá três etapas da Copa do Mundo e o competidor brasileiro que conquistar a melhor colocação no ranking internacional depois dessas provas estará classificado para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos.
                                            
Equipe Brasileira - Atletas
K1 e C1 Feminino – Ana Sátila
K1 Masculino – Pedro Gonçalves, Ricardo Taques e Fábio Scchena
C1 Masculino – Felipe Borges, Leonardo Curcel e Thiago Serra
C2 Masculino – Charles Corrêa e Anderson Oliveira // Rafael Souza e Pedro Aversa
 
Equipe Técnica:
Ettore Ivaldi (Treinador)
Guille Diez-Canedo (Auxiliar Técnico)
Diórgenes Antunes (Fisioterapeuta)
Gustavo Brandão (Preparador Físico e Fisiologista)
Fábio Canhete (Comunicação)
 
Veja Também: 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook