Ieda Guimarães é bi no Prêmio Brasil Olímpico

Ieda Guimarães é bi no Prêmio Brasil Olímpico /  Foto: Jonne Roriz/COBIeda Guimarães é bi no Prêmio Brasil Olímpico / Foto: Jonne Roriz/COB

Rio de Janeiro - Ela tem apenas 19 anos de idade, mas está vendo sua trajetória no Pentatlo Moderno decolar em 2019. A primeira grande conquista do ano foi a vaga para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020; a mais recente foi a revelação de que receberá o título de Melhor Pentatleta do Prêmio Brasil Olímpico, pela segunda vez consecutiva. E o que será que a própria Ieda Guimarães acha disso tudo?
 
“É uma emoção que não cabe no peito. Primeiro poder competir com as melhores do mundo no Japão, agora o título de Melhor Pentatleta do ano. Confesso que fiquei bem surpresa”, conta a carioca. A pentatleta revela que ficou sabendo pela Internet sobre o título de Melhor Pentatleta do Prêmio Brasil Olímpico, que será entregue em dezembro. Para ela, a conquista da vaga olímpica foi fundamental para ser indicada mais uma vez. “E um sonho realizado, gratificante e uma maneira de saber que estou indo pelo caminho certo”, avalia.
 
Rumo a Tóquio 2020 - Ieda conquistou a vaga para Tóquio 2020 ao ser a melhor sul-americana nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019, no fim de julho.  “Foi uma temporada muito boa, apesar de bastante cansativa. Obtive bons resultados e ótimas experiências”, Ieda avalia, embora tenha tido uma lesão no pé direito, tratada rapidamente, em meados de setembro. Até sua primeira participação em uma Olimpíada, daqui a cerca de oito meses, a pentatleta terá muito trabalho. Na última semana, ela já esteve no Laboratório Olímpico do COB, no Rio de Janeiro, para uma série de avaliações. “O planejamento da próxima temporada é treinar bastante para chegar a Tóquio e melhorar todos os meus resultados”, projeta.
 
Longa Trajetória - Ieda começou a praticar o Pentatlo Moderno com nove anos de idade no PentaJovem, projeto que a Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM) mantém para a descoberta e formação de novos nomes na modalidade. Na época, ela só praticava a natação. Ao longo desses 10 anos, a carioca foi acrescentando os outros quatro esportes (esgrima, hipismo, tiro a laser e corrida) nos seus treinamentos.
 
Apesar de bem jovem, ela já tem várias conquistas no Pentatlo Moderno. Dentre suas várias realizações estão a participação nos Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018 e nos Jogos Sul-Americanos Cochabamba 2018, onde foi a campeã do revezamento misto ao lado do colega de treinamento Victor Aguiar, 22. Em Lima 2019, ficou a uma posição do pódio, ao ser a quarta colocada geral.
 
A carioca recebe o benefício da Bolsa Atleta, do Ministério da Cidadania e é militar com a patente de Terceiro Sargento da Comissão de Desportos da Marinha (CDM).
 
Melhores Pentatletas do Prêmio Brasil Olímpico 
 
1999 - Roberta Sant'Anna
2000 - Nilton Gomes Rolim Filho
2001 - Daniel Santos
2002 - Roberta Sant'Anna
2003 - Samantha Harvey
2004 - Daniel Santos
2005 - Yane Marques
2006 - Yane Marques
2007 - Yane Marques
2008 - Yane Marques
2009 - Yane Marques
2010 - Yane Marques
2011 - Yane Marques
2012 - Yane Marques
2013 - Yane Marques
2014 - Yane Marques
2015 - Yane Marques
2016 - Yane Marques
2017 - Danilo Fagundes
2018 – Ieda Guimarães
2019 – Ieda Guimarães
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook