Brasileiros vão bem em evento teste mas ainda não têm vaga olímpica

Henrique Avancini, quinto lugar no evento teste de mountain bike, ainda não tem vaga olímpica assegurada / Foto: Esporte AlternativoHenrique Avancini, quinto lugar no evento teste de mountain bike, ainda não tem vaga olímpica assegurada / Foto: Esporte Alternativo

Rio de Janeiro - O evento teste de ciclismo mountain bike ocorrido neste domingo, dentro do futuro Parque Radical de Deodoro, no Rio, teve bons resultados dos brasileiros, tanto na prova masculina quanto na feminina. 

Entre os homens o destaque foi para Henrique Avancini, que já vinha sendo o melhor brasileiro nas provas internacionais. Ele terminou, em Deodoro, na quinta colocação, atrás de grandes nomes como o então favorito para a prova, o francês Julien Absalon (terminou em 4º). 

O destaque na prova feminina foi Raiza Goulão. Mesmo tendo feito um começo classificado por ela como "incrível", a goianense acabou caindo de rendimento um pouco por causa do calor e acabou ficando na 11ª colocação, feito que exalta já que estava entre as melhores do mundo.

"Consegui fazer um começo muito incrível, estar em top-10 nas duas primeiras voltas, mas o calor foi pesando e eu fui aumentando 30, 40 segundos a cada volta no meu tempo. Mas agora temos até agosto do ano que vem para treinar, pra melhorar os pontos fracos. Eu estou muito feliz que eu consegui um resultado, 11ª entre as melhores do mundo. Estou feliz com meu desempenho, eu dei o meu melhor. Isso só me motiva mais, agora com o pé direito dentro das Olimpíadas, até maio do ano que vem eu vou entrar de corpo inteiro e conquistar essa vaga", pontua Raiza. 

Raiza Goulão, brasileira mais bem colocada no evento teste deste domingo / Foto: Esporte AlternativoRaiza Goulão, brasileira mais bem colocada no evento teste deste domingo / Foto: Esporte Alternativo

Isso mesmo, nem ela nem Henrique ou Rubens Donizete, que foi 12º, também bem posicionado, estão classificados para os Jogos Olímpicos. Como país sede, o Brasil tem direito a pelo menos uma vaga no masculino e uma no feminino. Essa deverá ser disputada por esses atletas já mencionados, além de Fernanda Gramiscelle (24ª no evento teste), Luiz Cocuzzi (25º) e Ricardo Pscheidt (abandonou).

Caso eles estejam bem posicionados no ranking da UCI (União Ciclística Internacional), poderão ainda abocanhar mais uma vaga no feminino e duas no masculino. Isso porque o limite estabelecido pela UCI é de dois atletas por país no caso das mulheres e três na prova masculina.

Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook